Cefaleia ou Enxaqueca – Entenda a diferença

Ainda se faz muita confusão com esses termos. Vejo muitas vezes as pessoas usarem #enxaqueca como se fosse sinônimo de #cefaleia. Inclusive, profissionais da saúde. Então, nesse texto, tentarei elucidar melhor esses conceitos. Vamos lá!

Cefaleia é o termo que usamos na medicina para designar #dor de cabeça. Portanto, #cefaleia=#dor de cabeça. Ambas palavras têm o mesmo significado.

Para facilitar o diagnóstico, o tratamento dos pacientes e as pesquisas clínicas, a Sociedade Internacional de Cefaleia (IHS), em 1988 criou uma classificação onde incluiu todos os tipos de cefaleia que os médicos e pesquisadores achavam que existia. De lá para cá, descobrimos que existem outros tipos de #doresdecabeça, mais raras, que não estavam nessa classificação. Atualmente, estão classificados aproximadamente 150 tipos de cefaleia.

Ah, e aí, como a enxaqueca entra nisso?

Agora, vamos chegar ao ponto. A enxaqueca é apenas um #tipodecefaleia. Portanto, meus queridos, o termo enxaqueca não deve ser confundido com cefaleia.

Vou complicar mais um pouco. 🤭 A enxaqueca está classificada como um tipo de cefaleia, mas, na verdade, ela é uma doença específica, com forte componente genético e com muitas variantes. Na enxaqueca, a cefaleia é apenas um dos sintomas que estão presentes nessa doença. A dor de cabeça na enxaqueca pode ter várias características, mas quase sempre quando fica intensa, costuma ser latejante. Mas o protagonismo da enxaqueca no universo das cefaleias se dá pelo fato da mesma ser a doença mais debilitante do mundo na faixa etária dos 20 aos 50 anos. Na enxaqueca não é apenas a dor de cabeça que complica a vida dos pacientes, mas o conjunto de sintomas que antecedem os episódios de dor de cabeça, acompanham as dores de cabeça e ainda permanecem depois que as dores de cabeça passam.

Inúmeros são os fatores, talvez centenas ou mais, que podem nos gerar uma cefaleia. Por exemplo: jejum prolongado. Agora, como #cefaliatra que sou, irei lhe contar uma coisa curiosa.

O jejum prolongado pode gerar cefaleia em qualquer pessoa. Porém, se a pessoa tiver enxaqueca, ele pode gerar uma crise de enxaqueca, onde não virá apenas a dor de cabeça, mas todos os outros sintomas que ocorrem na enxaqueca, como náuseas, vômitos, sensibilidade à luz, aos ruídos, cheiros, tonturas, fraqueza entre outros.

Numa pessoa que não tenha enxaqueca, apenas comer após um jejum prolongado pode resolver a dor de cabeça. Em um paciente com enxaqueca, será necessário todo o tratamento para uma crise de enxaqueca. Entenderam?

Caso não tenha ainda ficado clara para você essa diferença, acesse nossas mídias sociais e deixe sua pergunta.

Caso esteja cansado de ter cefaleia, queira saber seu diagnóstico, e aprecie um tratamento não focado apenas no uso de medicamentos, agende uma consulta. Será um prazer lhe ajudar.

Agende uma consulta

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *